VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

domingo, 28 de setembro de 2008

ABERRAÇÕES OU PERVERSÕES SEXUAIS

RIPAROFILIA

É a pessoa que tem gratificação sexual apenas com pessoas sujas, mal-cheirosas.
Derivativa: quando o indivíduo tem atração por parceiro assim que sai da academia, suado.



VAMPIRISMO

Tem excitação pelo sangue do parceiro.
Exemplo: cunilíngua na mulher menstruada.



TRIOLISMO

É homenagem à trois, a suruba, no Brasil. É o sexo praticado a três.

PLURALISMO

Chamamos de swingue. O sexo praticado por mais de três pessoas.



BESTIALISMO

É a satisfação da libido com animais.
Também chamada zoofilia.

Levítico: não é novidade.
O que caracteriza não é a iniciação, mas a reiteração.



NECROFILIA

Satisfação da libido com cadáveres.
Alguns dos comportamentos que lembrem cadáver também é necrofilia.

Traços de necrofilia:
- boneca inflável
- namorada tomar banho gelado



SADOMASOQUISMO

Andam juntos:
Faz sofrer e sofre.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

COMPORTAMENTOS ALTERADOS PSIQUICAMENTE BIZARROS

COMPORTAMENTOS ALTERADOS PSIQUICAMENTE BIZARROS
(hoje está muito comum)


SADISMO
Produz dor ou humilhação no seu parceiro e isso lhe dá prazer

MASOQUISTA
O que recebe a dor ou a humilhação e isso lhe dá prazer.

SADOMASOQUISMO
Ter prazer em sofrer e fazer sofrer.

FLAGELATISMO OU FLAGELAÇÃO
Forma de sadismo em que o sofrimento do parceiro é especialmente infligido por meio de chicotadas.
É uma modalidade do sadismo

LUBRICIDADE SENIL
Exacerbação do apetite sexual em idade avançada.

CRONO-INVERSÃO OU GERONTOFILIA
Predileção sexual de jovens por indivíduos em idade avançada.

CROMO-INVERSÃO
Atração sexual por pessoas de cor diferente (obsessão)

ETNO-INVERSÃO
Satisfação por determinadas raças (variedade da cromo inversão)

TOPO-INVERSÃO
Prazer sexual por atos eróticos diversos da conjunção carnal (Felação, sodomia, cunilíng6ua, coito interfemural)

ANAFRODISIA
Diminuição do instinto sexual do homem, que o leva à quase o total desinteresse pelo sexo oposto

FRIGIDEZ
Diminuição do instinto sexual na mulher.

EROTOMANIA
Sem desejo sexual (amor platônico).

UROLAGNIA
Tem prazer em ver a urina do parceiro.

ANAFRODISIA
É a perda do interesse sexual do homem em relação à mulher.

FRIGIDEZ
A perda do interesse sexual da mulher em relação ao homem. Podem ser (anafrodisia e frigidez) motivo de anulação de casamento. Mas tem que ser um comportamento prolongado, um quadro clínico e não psicológico.

EROTISMO
É o exagero do interesse sexual.
Se for:
- do homem: SATIRÍASE
Também acompanhada de satisfação sexual. Mas pode ser acompanhada de múltiplos orgasmos.
- da mulher: NINFOMANIA
Este exagero não é acompanhado da satisfação da libido.
As duas têm um fundamento patológico, doentio.

EROTOMANIA
Eroto = delírio do amor sexual
Mania = alteração de natureza comportamental
As pessoas, às vezes, criam fantasias em relação à sexualidade.
Amantes que não existem, interesse sexual que não existe.
Associado geralmente a pessoas tímidas.

EXIBICIONISMO
Satisfação pela forma impulsiva de mostrar os órgãos sexuais aos outros.
Não tem a intenção do ato sexual.
Para alguns autores: interrupção do desenvolvimento sexual.
Pode ser observado também nos psicopatas.
No direito é encontrado como atentado ao pudor.

NARCISISMO
O homem tem a satisfação da libido pela admiração de seu próprio corpo.
Seria o amar a si próprio.
Normalmente associado ao autoerotismo (masturbação).

MIXOSCOPIA OU ESCOPOFILIA OU VOYERISMO
É a satisfação da libido observando terceiros fazendo sexo, nus.

FETICHISMO
A gratificação está no olhar/tocar objetos ou partes da pessoa do sexo oposto

LUBRICIDADE SENIL
Uma pessoa idosa que acaba desenvolvendo comportamentos estranhos. Um deles pode ser a pedofilia.

GERONTOFILIA OU CRONO INVERSÃO
Só está presente quando alguém mais jovem se interessa por alguém muito mais velho.
Só está caracterizado quando houver um comportamento reincidente.

CROMO-INVERSÃO
Hoje não é considerado um desvio da sexualidade, mas é um ranço presente nos valores sexuais que predominavam. É a preferência por uma determinada cor.

TOPO-INVERSÃO
Prazer sexual por atos eróticos diversos da conjunção carnal (Felação, sodomia, cunilíngua, coito interfemural)
Não é problema se considerado nas preliminares, mas se apenas substituir a penetração.

UROLAGNIA
Desejo sexual despertado pela visão ou audição da urina do companheiro.
Muitos animais marcam o território com a urina ou as fezes.

COPROLALIA OU ESCALOLALIA
Quando o homem só se excita com palavras obscenas.

COPROFILIA
Prazer sexual na defecação.

PIGMALIONISMO
É a satisfação da libido com estátuas.

PEDOFILIA
Atenção sexual voltada para crianças ou adolescentes imaturos.

EDIPISMO
Sexualidade do filho em direção à mãe. É uma tendência ao chamado incesto. Não consegue se relacionar com outra pessoa, por causa da fixação.

MASTURBAÇÃO (OU ONANISMO, para alguns autores)
Na verdade, masturbação e onanismo não são sinônimos.
Onan tem sua história na Bíblia. Devia fazer amor com a cunhada, que enviuvara. Como não queria ter filhos, fazia o coito interrompido. É um método muito inseguro de anticoncepção. A esse método se daria o nome de ONANISMO.
MASTURBAÇÃO: como alternativa, se sozinho, é normal. Mas quando recusa o parceiro para se masturbar está evidenciado o problema.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

TRANSTORNOS SEXUAIS

A SOCIEDADE CONJUGAL termina:
A) Pela morte de um dos cônjuges.
B) Pela NULIDADE OU ANULAÇÃO DO CASAMENTO.
Incapacidade de consentir, Falta de consentimento, Idade insuficiente •Falta de celebração, Erro essencial sobre a pessoa, Autoridade incompetente, Identidade física, Identidade do sexo, Honra e boa forma, IMPOTÊNCIA COEUNDI IRREMEDIÁVEL e desconhecida por um dos cônjuges, Defeito físico irremediável, Moléstias graves e transmissíveis.
C) Pela Separação Judicial:
D) Pelo Divórcio


IMPOTÊNCIA OU INCAPACIDADE

O que é ter o homem impotência?
É algo que impede a prática da conjunção carnal.

IMPOTÊNCIA GENERANDI
É a impotência masculina.

IMPOTÊNCIA CONCIPIENDI
É a impotência feminina.

O que é a conjunção carnal?
Para que exista, é preciso que o pênis tenha ereção.
É o mesmo mecanismo do clitóris (*), da mulher.
Os dois se parecem, são semelhantes.
A ejaculação tem que ser feita no fundo da vagina, para facilitar a concepção.

(*) clitóris (tonicidade no ó)
cli.tó.ris
sm sing e pl (gr kleitorís) Anat Excrescência carnuda e eréctil na parte anterior e superior da vulva. Órgão homólogo do pênis, mas muito menor. Var: clitóride.
Fonte: Michaelis

MOTIVOS:
- orgânicos
- psíquicos

ORGÂNICOS:
Exemplo:
- priapismo (a ereção continua porque o sangue continua, trombosa).


IMPOTÊNCIA
- generandi
- coeundi (gera a nulidade do casamento)
- concipiendi (da mulher)

CONJUNÇÃO CARNAL
- dispareonia

SEXO ORAL:
CUNILÍNGUA – o homem na mulher
FELAÇÃO – a mulher no homem


SÍNDROME DO NINHO VAZIO
Mulheres que se dedicam somente aos filhos e quando eles crescem, se sentem desvalorizadas.


INTERSEXUALIDADE
Pessoas que apresentam no mesmo sexo caracteres do sexo feminino E do masculino.
É um fenômeno observado nas escalas de animais inferiores.

A taenia saginata e a taenia soeliem – são os hermafroditas verdadeiros.
No homem, não existe o hermafroditismo.
O que existem são más formações.


TRANSEXUALISMO
Pessoa biologicamente normal que transforma, cirúrgica ou hormonalmente, o sexo.
O que tem o sexo psíquico diferente do anatômico.
Nada tem a ver com a homossexualidade.
O homem acredita ser mulher.
Ojeriza ao órgão sexual.
Roupagem cruzada: antes dos três anos, não excita e é espontâneo.


TRAVESTISMO
Roupagem cruzada


FETICHISMO
Um distúrbio de comportamento sexual.
Desejo sexual que surge à vista ou ao toque de determinados objetos ou certas partes do corpo que não sexuais.
Os estudantes de Direito da Faculdade de Direito São Francisco do começo do século passado desmaiavam quando as moças subindo no bonde. Porque viam seus tornozelos.
Colecionar calcinhas: se da abatida tal e qual dia, não é fetiche. Mas se manipula o objeto para sentir prazer, sim.
Quando o indivíduo substitui o contato pessoal por um objeto ou parte do corpo, aí, sim, temos o fetiche.


HOMOSSEXUALIDADE
Atração sexual por pessoas do mesmo sexo.


TRAVESTI
É uma figura muito antiga. O homem gosta de vestir a roupa do sexo oposto. Mas é macho.


PEDERASTA
Homossexual masculino


LESBIANISMO
A homossexualidade feminina


SÍNDROME DE TURNER: XO

SÍNDROME DE KLINEFELTER: XXY

POLISSOMIA DOS CROMOSSOMOS SEXUAIS
mulheres triplo, tetra e penta X e homens duplo Y (XYY)

SEXOLOGIA, CRIMINALÍSTICA, ETC., ETC.

Acessei o site da Universidade de Brasília sobre medicina legal.(http://www.malthus.com.br).

Tem resumos, fotos, exercícios. É bastante interessante, e acho que vale a pena dar uma olhada.

Faça o teste que eles disponibilizam (sexologia).
O site é http://www.malthus.com.br/exercicio_click.asp?sitio=forense&npp=10&top=3&topr=3&textos=s&fotos=s&abremenu=0a76za65za254za254z

SEXOLOGIA - slides recebidos da Isadora, assistente do professor Wagner

Sexologia

Conceito

Evolução histórica
O núcleo familiar surge com o congelamento do interesse sexual feminino que, além da perpetuação da espécie, buscará a satisfação da libido.

Tipos de sexo:
Morfológico: genitália externa e interna + caracteres secundários
Endócrino: hormônios (Feminino: progesterona e estrogênio; Masculino: testosterona)
Genético: Cromossomos sexuais (XX e XY)
Psicológico
Jurídico: Registro Civil


Hímen: prega membranosa que oblitera parcialmente o orifício inferior da vagina.
Agenesia himenal
Hímen Complacente
Conjunção carnal
Dispareunia
Coitofobia
Vaginismo
Ato libidinoso
Impotência:
a) Generandi
b) Coeundi
c) Concipiendi (mulher)

Síndrome do Ninho Vazio: mulheres que se dedicam somente aos filhos e quando estes crescem se sentem desvalorizadas.
Intersexualidade: Indivíduos que apresentam no mesmo sexo caracteres do sexo feminino e do sexo masculino
Transexualismo: Indivíduo biologicamente normal que transforma, cirurgicamente ou hormonalmente,o sexo.
 Roupagem cruzada (antes dos 03 anos, não excita e é espontâneo)
 Acredita ser mulher
 Ojeriza ao órgão sexual
Travestismo: roupagem cruzada
Homossexualismo: atração sexual por pessoas do mesmo sexo.
a) Feminino: lesbianismo, safismo ou tribadismo
b) Masculino: pederastia, uransimo, sodomita.

Hermafroditismo: Ser bissexuado (possui ambos aparelhos reprodutores funcionais)
* não existe na espécie humana
Diferente de intersexuais bigonáticos (possuem as duas glândulas reprodutoras)
Pseudo-Hermafroditismo: Indivíduo com gônadas de um sexo e órgãos sexuais externos e vias genitais semelhantes às de outro.


Desvios Cromossômicos
I) Numéricos
II) De estrutura
Através da não-disjunção (não redução cromática) no sexo feminino, um óvulo fica com dois cromossomos (XX) ou fica sem nenhum (0). No sexo masculino, o espermatozóide fica com dois cromossomos (XY) ou sem nenhum (0). Este aumento ou diminuição chama-se aneuploidia.

Da junção do gameta “problemático” com um normal geralmente produz um indivíduo com desenvolvimento mental retardado.
* Síndrome de Turner: X0
* Síndrome de Klinefelter:XXY
* Polissomia dos cromossomos sexuais: mulheres triplo, tetra e penta X e homens duplo Y (XYY)

Perturbações da Sexualidade
Alterações qualitativas ou quantitativas do instinto sexual, referentes à finalidade do ato ou objeto. (FÁVERO,Flamínio)

Sadismo: satisfação sexual através do sofrimento do parceiro, infligido pelo próprio parceiro ou outrem.
Masoquismo: Prazer erótico com o próprio sofrimento físico ou moral.
Sadomasoquismo: sofrer e fazer sofrer.
Flagelatismo ou Flagelação: Forma de sadismo em que o sofrimento do parceiro é especificamente infligido por meio de chicotadas.
Lubricidade senil: exacerbação do apetite sexual em idade avançada.
Pedofilia: prazer sexual pela prática de ato sexual com crianças.
Fetichismo: desejo sexual que surge à vista ou toque de determinados objetos, ou certas partes do corpo que não sexuais
Crono-Inversão ou Gerontofilia: Predileção sexual de jovens por indivíduos em idade avançada.
Cromo-Inversão: Atração sexual por pessoas de cor diferente (obsessão)
Etno-Inversão: satisfação por determinadas raças (variedade da cromo-inversão)
Topo-Inversão: Prazer sexual por atos eróticos diversos da conjunção carnal (Felação, sodomia, cuniligua, coito interfemur)
Anafrodisia:Diminuição do instinto sexual do homem, que o leva a quase o total desinteresse pelo sexo oposto.
Frigidez: Diminuição do instinto sexual na mulher.
Erotomania: Sem desejo sexual (amor platônico).
Erotismo: Exagero do desejo sexual ( no homem: satiríase, na mulher ninfomania ou uteromania)
Auto-erotismo (ou aloerotismo): ápice sexual atingido sem a presença do parceiro, apenas de modo contemplativo, perante uma pessoa ou retrato.
Troca de casais ou troca interconjugal ou swing: Obsessão pela troca de parceiros para aquecer a vida sexual.
Pluralismo: Prática sexual com pluralidade de parceiros ( 3 indivíduos – triolismo ou mènage à trois; mais pessoas: pluralismo ou sexo grupal ou swapping)
Onanismo: masturbação (aversão ou substituição ao coito)
Priapísmo: ereção persistente.
Vampirismo: Prazer sexual obtido através da ingestão do sangue do parceiro (*menstruação)
Necrofilia: Cópula com mulher morta
Necrossadismo: Mutilação de cadáver para se excitar
Mixoscopia ou voyerismo: Prazer pela contemplação do ato sexual alheio.
Fetichismo: Excitação anormal e predileção por determinadas partes do corpo do parceiro ou objetos da pessoa amada
Exibicionismo: Exposição das genitálias apenas pelo prazer de expô-las.
Narcisismo: Culto exagerado do corpo
Edipismo: Tendência ao incesto, prática sexual com parentes muito próximos.
Zoofilia ou Bestialidade: Prática com animais.
Pigmalionismo: Masturbação e ejaculação com estátuas.
Frotteurismo: Caracteriza-se pela necessidade de tocar ou esfregar-se em outras pessoas, geralmente em locais públicos.
Riparofilia: Atração sexual por indivíduos com péssimos hábitos higiênicos, de baixa condição social.
Urolagnia: Satisfação sexual com a contemplação do parceiro no ato de micção, podendo também satisfazer-se com o simples barulho da urina caindo sobre o vaso santiário.
Coprofilia: Satisfação sexual ligada à defecação ou contato direto com as fezes.
Coprolalia: Prazer sexual ligado a palavras de baixo calão (necessidade para atingir o orgasmo).

*******************************

HÍMEN E FREQÜÊNCIA

HÍMEN

É uma membrana. Tem interesse para prova de conjunção carnal. Fica no intróito da vagina.

A mulher pode apresentar:
- AGENESIA: não tem hímen;
- INPERFURADO: fechado. A mulher nunca menstrua. É preciso fazer uma operação.
Vinte por cento das mulheres apresentam o hímen complacente (o que suporta a penetração sem que haja rompimento).


MATERIALIDADE:
É exigida nos crimes de violência sexual.

Quando houver lesão himenal (defloração), dura até 11 (ONZE) dias.



Uma senhora de 48 anos vai fazer o papa nicolau. Alega que é virgem.
Se é virgem, usa-se um espectro pequeno. Se não for, um maior.
A enfermeira coloca um grande (tem certeza que a senhora não é virgem).
Após, a mulher fala na empresa que não é mais virgem (para todo mundo).
Entra com uma ação de indenização e pede cem mil reais.

O que a empresa poderia alegar em sua defesa?

Spectro não é pênis.
O magistrado aceitou o argumento.
Existem mulheres que não têm hímen. Por isso não são virgens?

Uma senhora procurou o professor (ele é médico, também), e disse que o marido a traía.
Por quê?
- Comigo ele faz sexo todo dia e eu li nesta revista que tem que ser três vezes por dia.
O jornalista aprende a escrever, mas não tem conteúdo.
Não é verdade o que está escrito na revista.
Máster e Johnson fizeram uma pesquisa, nos anos sessenta, que ainda é atualíssima.
No início de casados, a freqüência é maior.
Mas depois de 2,5 anos, a MÉDIA é de duas vezes por semana.

O desajuste sexual é o início da desagregação.

SOGRA
Em russo, é storvo

A garota casou, bonitinha. Foram morar na fazenda.
Ela tomava banho todo dia.
Ele vinha do trabalho e sexo.
Ela começou a desenvolver vaginismo. É uma defesa.
- Não deu para perceber na época do namoro.
Nessa época as pessoas são mais (muito, muito mais) tolerantes.
Tanto que até se enganam.

TIPOS DE SEXO

1. morfológico ou anatômico
2. endócrino ou hormonal
3. genético
4. psicológico
5. jurídico


1. MORFOLÓGICO OU ANATÔMICO
Representado pelas genitálias externas + as internas + caracteres sexuais secundários.
No homem, é representado pela distribuição pilosa, pelo pênis e o saco escrotal, pela voz mais grave, etc.
Na mulher, pela distribuição pilosa, pelo útero, a vagina, a voz mais fina.

2. ENDÓCRINO OU HORMONAL
No homem, temos a presença do hormônio TESTOSTERONA.
Na mulher, do ESTRÓGENO e da PROGESTERONA.

3. GENÉTICO
Existe um corpúsculo chamado de BAAR, presente em todas as células femininas. Que nada mais é do que o cromossomo X, enroladinho.

4. PSICOLÓGICO
O conceito de você a respeito de você mesmo.

5. JURÍDICO
Masculino e feminino – com o qual somos registrados.





TRANSEXUAL E HOMOSSEXUAL

TRANSEXUAL
O sexo anatômico, genético, hormonal, se contrapõe ao sexo psíquico.
É um conflito entre o sexo psíquico e o sexo anatômico. Não está feliz com a sua anatomia.

HOMOSSEXUAL
É diferente.
Está feliz, por exemplo, por ser homem. É homem.
Mas tem prazer em fazer sexo com outro homem.
Também mulheres podem buscar na sensibilidade de outras mulheres a satisfação da libido.

MENARCA E MENOPAUSA

MENARCA
É a primeira menstruação da mulher. É o início da atividade hormonal da mulher.

MENOPAUSA
É antecedida por um período de 2, 3 ou às vezes 5 anos, com a queda dos hormônios estrogênio e progesterona. Esta fase é chamada de CLIMATÉRIO.
A mulher fica muito sensível. Agressiva.
Essa agressividade pode fundamentar o rompimento de casamentos.
O climatério é às vezes tão intenso que é preciso dar estrógeno à mulher. Que é retirado, aos poucos.
RISCO: câncer de mama. Mas fazendo um bom acompanhamento, os riscos são minimizados.
O estrógeno e a progesterona são grandes proteções do organismo feminino.
A partir daí, a mulher passa a uma nova fase: um envelhecimento mais rápido.
É natural. Faz parte do programa genético.

SEXOLOGIA FORENSE - CONTEXTUALIZAÇÃO - NÚCLEO FAMILIAR

SEXOLOGIA FORENSE


IMPORTÂNCIA: CONTEXTUALIZAÇÃO

Se olharmos a história conhecida dos homens, que tem não mais de sete mil anos, dentro da escala animal é um fato inédito.
Quando um filhote de girafa nasce, cai da altura de um metro e já fica em pé, mama e já está andando. Isso em uma hora.
O ser humano é dependente. E deu certo.
Por quê? Pelo surgimento de uma estrutura chamada FAMÍLIA.
A família é um paradigma das possibilidades da evolução humana.
Se voltarmos há sete mil anos, pouco mais, quando a mãe tivesse seu filhote e saísse para buscar alimentos, seria presa fácil.
A natureza CONGELA o interesse sexual.
Esse aspecto é congelado até os dias de hoje.

NÚCLEO FAMILIAR:
Surge com o CONGELAMENTO do interesse sexual feminino, que além da perpetuação da espécie, também buscará a satisfação da libido.
A família fundamenta a mudança de hábito.
O homem deixa de ser nômade, experimenta a agricultura e a criação de gado, e desta forma surgem os núcleos sociais, com a distribuição de tarefas.

CICLO HORMONAL DA MULHER
A mulher produz dois hormônios: o estrogênio e a progesterona.
Diferente dos outros animais que somente se acasalam no cio, a mulher permite o sexo em outros períodos.
Com isso, mantém o homem próximo.
Isso favoreceu a formação de núcleos. E outros núcleos juntos.
Por causa da natureza da mulher e porque o ser humano pensa, conseguimos planejar o futuro.
Se não houvesse essa mudança genética, não bastaria a capacidade de pensar.
O que a mulher ganha com isso?
A semiescravidão, perpetuada até a última Grande Guerra.Porque a mulher teve que ir para a linha de montagem e o homem à guerra.
Quando ele voltou, ela não quis sair dali.
Aí vem o segundo grande passo.
Junto com a independência financeira, a mulher passa a poder dispor do seu corpo como ela quer. Porque foi sintetizada a pílula anticoncepcional.
Nosso código civil foi alterado agora.
Independência?
Estamos lutando por isso.
As mulheres estão em maior número em todas as áreas e a qualidade de seu trabalho é melhor.
Coloque junto um rapaz de vinte e três anos e uma garota de vinte e três anos.

PROCESSOS DESTRUTIVOS DO CADÁVER

- fauna cadavérica (de fora para dentro)
+
- a destruição do corpo por si próprio – risossomas = um fermento, que destrói o corpo de dentro para fora.

“A putrefação decorre tanto pela ação da fauna cadavérica (externa), quanto pela AUTÓLISE (ação dos risossomas).”

A PUTREFAÇÃO TEM 4 FASES:

1 – CROMÁTICA OU COLORIDA
A pessoa fica:
- branco, porque está morta;
- com mais a mancha verde;
- e ainda com a mancha vermelha.
Branco + vermelho + verde.

2. GASOSA
Ocorre pela atividade das bactérias, que vão se multiplicar intensamente e produzir gases.
Nessa fase, os olhos saltam da órbita, a língua fica proturida em relação à boca (sai da boca), os grandes lábios da mulher e a bolsa escrotal do homem são destruídos. Para se identificar a mulher, busca-se o ÚTERO, e o homem, a PRÓSTATA.

3. LIQUEFAÇÃO
Representa a contaminação do lençol freático.
O material orgânico transforma-se em líquido, adentra o solo e contamina o lençol freático.

4. ESQUELETIZAÇÃO
Os ossos ficam semelhantes ao biscoito de polvilho.

COMORIÊNCIA

O evento morte é importante para estabelecer a ordem de sucessão.

“Comoriência é a situação médica legal onde se declara a morte simultânea de duas ou mais pessoas, em particular quando houver interesse sucessório, declarando-se como a morte ocorrida na mesma ordem.”

MANCHA VERDE

Na maioria das vezes aparece no abdome, na fossa ilíaca direita (no apêndice).
Há uma exceção: nos casos de afogamento, ela aparece no tórax.

Como localizar?

No osso da bacia (a parte mais proeminente, chamada crista ilíaca antero superior), no lado direito do corpo, marco um ponto (ponto A).
Desse ponto até o umbigo, traço uma reta.
Divido essa reta em três partes. Com a divisão, encontro dois pontos, um mais acima e outro embaixo.
O ponto inferior é chamado ponto Mack Bourney.
Esse é o caminho que os médicos usam para a operação do apêndice.
Nesse ponto Mack Bourney, traço uma reta, perpendicular à primeira.

“As bactérias presentes no intestino vão invadir o corpo, utilizando os vasos sanguíneos, e transformar a hemoglobina (vermelha) em sulfoemoglobina (verde).
No caso de afogamento, a mancha verde aparecerá em primeiro lugar no tórax.”

HIPÓSTASE OU LIVORES

Como sabemos se um corpo foi mudado de posição? Pelas hipóstase ou livores.

Decúbito dorsal: aparecem nas costas
Decúbito ventral: aparece na frente
Enforcado, nos pés.

É um fenômeno físico, envolvendo os elementos sólidos do sangue. Fica uma mancha vermelha.
“Hipóstase ou livores é uma mancha que irá se fixar na parte mais baixa do corpo, em razão da força da gravidade, que forçará os elementos pesados do sangue (as hemácias) a se deslocarem, chegando a formar uma placa de cor vermelha e rosa.
Através da avaliação da hora, podemos definir se o cadáver foi mudado de posição.”

ESPASMO CADAVÉRICO

Nada tem com a rigidez cadavérica, porque compromete apenas um seguimento do corpo (mão), é IMEDIATO à morte e se vincula às mortes violentas que atingem o sistema nervoso central (cérebro).
Exemplo:
O indivíduo atira contra a própria CABEÇA. Cai, segurando a arma.

RIGIDEZ CADAVÉRICA (aula do dia 11/08/2008)

RIGIDEZ CADAVÉRICA

A rigidez cadavérica é um processo que é percebido 1,5 a 2 horas após a morte. Não é um tempo fixo, mas variável.
De 18 a 24 horas, a rigidez começa a desaparecer.
O que é a rigidez cadavérica?
Nossos músculos ficam sem receber oxigênio. Produzimos muito ácido láctico.
É um processo semelhante à câimbra.


ORDEM DE APARECIMENTO E DESAPARECIMENTO DA RIGIDEZ CADAVÉRICA:

APARECIMENTO:
Rosto → cervical → tórax → abdômen → membros superiores → membros inferiores

DESAPARECIMENTO:
Membros inferiores→ membros superiores→ abdômen→ tórax→ cervical→ rosto

“Processo observado após a segunda hora do óbito. Se inicia comprometendo primeiramente a musculatura mímica, seguido da cervical, tronco, membros superiores e inferiores. Ao redor da 18ª a 24ª hora, começa a desaparecer, na mesma ordem, de baixo para cima.”

Segundo a Lei de Nysten, a rigidez se manifesta em primeiro lugar na face, mandíbula e pescoço, seguindo-se dos membros superiores, tronco e membros inferiores, desaparecendo na mesma ordem (contribuição do comentário a esta postagem, em 05-12-2012).

Uma história

É encontrado um corpo, deitado na cama.
Apresenta um orifício de entrada na região mamária esquerda com características de tiro encostado.
Ele é destro e segura a arma com a mão direita.
O teste de parafina ou residuográfico é negativo.
É a descrição da cena da morte do Getúlio Vargas.
Se fosse suicídio, seria mais fácil.
Com o tiro em si próprio nessa região, a arma cairia no chão.
Oficialmente, ficou como suicídio.
A história conhecemos pela história.
Era carinhosamente chamado de “Pai dos pobres”.
Os mais antigos lembram com saudades.
A mãe do professor Wagner trabalhava doze horas por dia, e os patrões tinham, inclusive, os poderes de correção.
Com Getúlio, foram introduzidas as férias, o décimo terceiro, as oito horas por dia.
Com dez anos na empresa, passou a ter estabilidade. Hoje, esse benefício foi trocado pelo fundo de garantia.

Sexologia

Conceito

Evolução histórica
O núcleo familiar surge com o congelamento do interesse sexual feminino que, além da perpetuação da espécie, buscará a satisfação da libido.

Tipos de sexo:
Morfológico: genitália externa e interna + caracteres secundários
Endócrino: hormônios (Feminino: progesterona e estrogênio; Masculino: testosterona)
Genético: Cromossomos sexuais (XX e XY)
Psicológico
Jurídico: Registro Civil


Hímen: prega membranosa que oblitera parcialmente o orifício inferior da vagina.
Agenesia himenal
Hímen Complacente
Conjunção carnal
Dispareunia
Coitofobia
Vaginismo
Ato libidinoso
Impotência:
a) Generandi
b) Coeundi
c) Concipiendi (mulher)

Síndrome do Ninho Vazio: mulheres que se dedicam somente aos filhos e quando estes crescem se sentem desvalorizadas.
Intersexualidade: Indivíduos que apresentam no mesmo sexo caracteres do sexo feminino e do sexo masculino
Transexualismo: Indivíduo biologicamente normal que transforma, cirurgicamente ou hormonalmente,o sexo.
 Roupagem cruzada (antes dos 03 anos, não excita e é espontâneo)
 Acredita ser mulher
 Ojeriza ao órgão sexual
Travestismo: roupagem cruzada
Homossexualismo: atração sexual por pessoas do mesmo sexo.
a) Feminino: lesbianismo, safismo ou tribadismo
b) Masculino: pederastia, uransimo, sodomita.

Hermafroditismo: Ser bissexuado (possui ambos aparelhos reprodutores funcionais)
* não existe na espécie humana
Diferente de intersexuais bigonáticos (possuem as duas glândulas reprodutoras)
Pseudo-Hermafroditismo: Indivíduo com gônadas de um sexo e órgãos sexuais externos e vias genitais semelhantes às de outro.


Desvios Cromossômicos
I) Numéricos
II) De estrutura
Através da não-disjunção (não redução cromática) no sexo feminino, um óvulo fica com dois cromossomos (XX) ou fica sem nenhum (0). No sexo masculino, o espermatozóide fica com dois cromossomos (XY) ou sem nenhum (0). Este aumento ou diminuição chama-se aneuploidia.

Da junção do gameta “problemático” com um normal geralmente produz um indivíduo com desenvolvimento mental retardado.
* Síndrome de Turner: X0
* Síndrome de Klinefelter:XXY
* Polissomia dos cromossomos sexuais: mulheres triplo, tetra e penta X e homens duplo Y (XYY)

Perturbações da Sexualidade
Alterações qualitativas ou quantitativas do instinto sexual, referentes à finalidade do ato ou objeto. (FÁVERO,Flamínio)

Sadismo: satisfação sexual através do sofrimento do parceiro, infligido pelo próprio parceiro ou outrem.
Masoquismo: Prazer erótico com o próprio sofrimento físico ou moral.
Sadomasoquismo: sofrer e fazer sofrer.
Flagelatismo ou Flagelação: Forma de sadismo em que o sofrimento do parceiro é especificamente infligido por meio de chicotadas.
Lubricidade senil: exacerbação do apetite sexual em idade avançada.
Pedofilia: prazer sexual pela prática de ato sexual com crianças.
Fetichismo: desejo sexual que surge à vista ou toque de determinados objetos, ou certas partes do corpo que não sexuais
Crono-Inversão ou Gerontofilia: Predileção sexual de jovens por indivíduos em idade avançada.
Cromo-Inversão: Atração sexual por pessoas de cor diferente (obsessão)
Etno-Inversão: satisfação por determinadas raças (variedade da cromo-inversão)
Topo-Inversão: Prazer sexual por atos eróticos diversos da conjunção carnal (Felação, sodomia, cuniligua, coito interfemur)
Anafrodisia:Diminuição do instinto sexual do homem, que o leva a quase o total desinteresse pelo sexo oposto.
Frigidez: Diminuição do instinto sexual na mulher.
Erotomania: Sem desejo sexual (amor platônico).
Erotismo: Exagero do desejo sexual ( no homem: satiríase, na mulher ninfomania ou uteromania)
Auto-erotismo (ou aloerotismo): ápice sexual atingido sem a presença do parceiro, apenas de modo contemplativo, perante uma pessoa ou retrato.
Troca de casais ou troca interconjugal ou swing: Obsessão pela troca de parceiros para aquecer a vida sexual.
Pluralismo: Prática sexual com pluralidade de parceiros ( 3 indivíduos – triolismo ou mènage à trois; mais pessoas: pluralismo ou sexo grupal ou swapping)
Onanismo: masturbação (aversão ou substituição ao coito)
Priapísmo: ereção persistente.
Vampirismo: Prazer sexual obtido através da ingestão do sangue do parceiro (*menstruação)
Necrofilia: Cópula com mulher morta
Necrossadismo: Mutilação de cadáver para se excitar
Mixoscopia ou voyerismo: Prazer pela contemplação do ato sexual alheio.
Fetichismo: Excitação anormal e predileção por determinadas partes do corpo do parceiro ou objetos da pessoa amada
Exibicionismo: Exposição das genitálias apenas pelo prazer de expô-las.
Narcisismo: Culto exagerado do corpo
Edipismo: Tendência ao incesto, prática sexual com parentes muito próximos.
Zoofilia ou Bestialidade: Prática com animais.
Pigmalionismo: Masturbação e ejaculação com estátuas.
Frotteurismo: Caracteriza-se pela necessidade de tocar ou esfregar-se em outras pessoas, geralmente em locais públicos.
Riparofilia: Atração sexual por indivíduos com péssimos hábitos higiênicos, de baixa condição social.
Urolagnia: Satisfação sexual com a contemplação do parceiro no ato de micção, podendo também satisfazer-se com o simples barulho da urina caindo sobre o vaso santiário.
Coprofilia: Satisfação sexual ligada à defecação ou contato direto com as fezes.
Coprolalia: Prazer sexual ligado a palavras de baixo calão (necessidade para atingir o orgasmo).

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO
A vida existe para ser vivida, não adiada.

Quem sou eu

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

COMO NASCEU ESTE BLOG?

Cursei, de 2004 a 2008, a graduação em Direito na Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (FDSBC).

Registrava tudo o que os professores diziam – absolutamente tudo, incluindo piadas, indicações de livros e comentários (bons ou maus). Por essa razão, eram as anotações bastante procuradas.

Entretanto (e sempre existe um entretanto), escrevia no verso de folhas de rascunho, soltas e numeradas no canto superior direito, sem pautas, com abreviações terríveis e garranchos horrorosos que não consigo entender até hoje como pudessem ser decifradas senão por mim.

Para me organizar, digitava os apontamentos no dia seguinte, em um português sofrível –deveria inscrever sic, sic, sic, a cada meia página, porque os erros falados eram reproduzidos, quando não observados na oportunidade em que passava a limpo as matérias -, em virtude da falta de tempo, dado que cumulei o curso com o trabalho e, nos últimos anos, também estagiei.

Em julho de 2007 iniciei minhas postagens, a princípio no blog tudodireito. A transcrição de todas as matérias, postadas em um mesmo espaço, dificultava, sobremaneira, o acompanhamento das aulas.

Assim, criei, ao sabor do vento, mais e mais blogs: Anotações – Direito Administrativo, Pesquisas – Direito Administrativo; Anotações – Direito Constitucional I e II, Pesquisas – Direito Constitucional, Gramática e Questões Vernáculas e por aí vai, segundo as matérias da grade curricular (podem ser acompanhados no meu perfil completo).

Em novembro de 2007 iniciei a postagem de poemas, crônicas e artigos jurídicos noRecanto das Letras. Seguiram-se artigos jurídicos publicados noJurisway, no Jus Navigandi e mais poesias, na Sociedade dos Poetas Advogados.

Tomei gosto pela coisa e publiquei cursos e palestras a que assistia. Todos estão publicados, também, neste espaço.

Chegaram cartas (pelo correio) e postagens, em avalanche, com perguntas e agradecimentos. Meu mundo crescia, na medida em que passava a travar amizade com alunos de outras faculdades, advogados e escritores, do Brasil, da América e de além-mar.

Graças aos apontamentos, conseguia ultrapassar com facilidade, todos os anos, as médias exigidas para não me submeter aos exames finais. Não é coisa fácil, vez que a exigência para a aprovação antecipada é a média sete.

Bem, muitos daqueles que acompanharam os blogs também se salvaram dos exames e, assim como eu, passaram de primeira no temível exame da OAB, o primeiro de 2009 (mais espinhoso do que o exame atual). Tão mal-afamada prova revelou-se fácil, pois passei – assim como muitos colegas e amigos – com nota acima da necessária (além de sete, a mesma exigida pela faculdade para que nos eximíssemos dos exames finais) tanto na primeira fase como na segunda fases.

O mérito por cada vitória, por evidente, não é meu ou dos blogs: cada um é responsável por suas conquistas e a faculdade é de primeira linha, excelente. Todavia, fico feliz por ajudar e a felicidade é maior quando percebo que amigos tão caros estão presentes, são agradecidos (Lucia Helena Aparecida Rissi (minha sempre e querida amiga, a primeira da fila), João Mariano do Prado Filho e Silas Mariano dos Santos (adoráveis amigos guardados no coração), Renata Langone Marques (companheira, parceira de crônicas), Vinicius D´Agostini Y Pablos (rapaz de ouro, educado, gentil, amigo, inteligente, generoso: um cavalheiro), Sergio Tellini (presente, hábil, prático, inteligente), José Aparecido de Almeida (prezado por toda a turma, uma figura), entre tantos amigos inesquecíveis. Muitos deles contribuíram para as postagens, inclusive com narrativas para novas crônicas, publicadas no Recanto das Letras ou aqui, em“Causos”: colegas, amigos, professores, estagiando no Poupatempo, servindo no Judiciário.

Também me impulsionaram os professores, seja quando se descobriam em alguma postagem, com comentários abonadores, seja pela curiosidade de saber como suas aulas seriam traduzidas (naturalmente os comentários jocosos não estão incluídos nas anotações de sala de aula, pois foram ou descartados ou apartados para a publicação em crônicas).

O bonde anda: esta é muito velha. A fila anda cai melhor. Estudos e cursos vão passando. Ficaram lá atrás as aulas de Contabilidade, Economia e Arquitetura. Vieram, desta feita, os cursos de pós do professor Damásio e da Gama Filho, ainda mais palestras e cursos de curta duração, que ao todo somam algumas centenas, sempre atualizados, além da participação no Fórum, do Jus Navigandi.

O material é tanto e o tempo, tão pouco. Multiplico o tempo disponível para tornar possível o que seria quase impossível. Por gosto, para ajudar novos colegas, sejam estudantes de Direito, sejam advogados ou a quem mais servir.

Esteja servido, pois: comente, critique, pergunte. Será sempre bem-vindo.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches